A atividade física e o marketing multinível. Tem tudo a ver

Meu nome é Celso Silva; já corri uma vez a Maratona do Rio de Janeiro, em 1989; completei o percurso em 4 horas e concluí que não há necessidade de correr uma maratona para ser feliz; com muito menos é possível alcançar a felicidade. Logo, vou explicar o que isso tem a ver com o marketing multinível.

Muitas pessoas dizem que não gostam de atividade física, principalmente corridas, por não saberem que são capazes; pensam que é uma coisa muito difícil. Essa atitude é resultante de, entre outras coisas, verem umas pessoas já com performances elevadas, com seus corpos elegantes e outras pessoas se arrastando com seus corpos disformes.

Essa visão mata qualquer pessoa de pouca fé, que aliás, se encontra no grupo da maior parte da humanidade – pessoas de pouca fé.

Acredito que essas pessoas têm a seguinte visão: em relação àqueles que estão muito bem, elas pensam que já nasceram assim, abençoados, e nunca precisaram de se esforçar para alcançar as suas performances; em relação aos que se arrastam, imaginam que também terão que passar por grandes sacrifícios e acabarão desistindo. No final desse artigo, você saberá porque é realmente difícil para uma pessoa começar algo.

Vamos tomar a corrida como exemplo. Há muitos anos, em 1984, eu morava em Porto Alegre/RS e estava muito bem em corrida; tinha 34 anos; saía pela manhã, bem cedo, ignorando chuva e frio; era uma loucura que me deixava feliz. Certo dia, acordei a minha mulher e os três filhos (o mais novo tinha 7 anos), e fomos correr, dando uma volta no quarteirão do prédio, na Monsenhor Veras. Não sei porque fiz isso, mas foi uma idéia brilhante, porque deu certo. Todos correram e chegaram praticamente sem grande esforço físico. O único “esforço” que precisaram foi acreditar em mim; por se um militar muito “Caxias”, acredito que eu tenha sido bastante persuasivo.

O resultado dessa experiência é que a minha mulher tem hoje 59 anos, corre uma hora por dia e está muito bem de saúde; meu filho mais novo é um fuzileiro naval que está muito bem fisicamente; meu filho mais velho pratica atividade física. O meu rendimento nessa experiência foi de 75%.

Hoje eu tenho noção do que fiz naquela época, e isso pode ser feito no marketing multinível: é pedir para uma pessoa fazer algo que ela possa fazer com pouco ou nenhum esforço e deixá-la progredir no seu próprio ritmo.

Algumas vezes, nas forças armadas, pegamos um recruta que nunca fez uma corrida na vida, e o obrigamos a correr uma distância que julgamos o padrão para quem está iniciando; o resultado é que alguns passam a encarar a corrida como uma coisa muito desagradável. Ao final de algum tempo, todos os soldados alcançam o padrão exigido porque isso é uma obrigação do serviço; eles não têm como fugir. Porém no marketing multinível, em que as pessoas são voluntárias, se obrigamos alguém a fazer algo que acha desagradável, a fuga é inevitável e a pessoa sai antes de chegar ao “padrão”.

O ideal, então, é ensinar ao novo candidato ao marketing multinível a fazer algo que ele possa falar assim: É só isso? É claro que a pessoa tem que acreditar no projeto para fazer aquele mínimo; lembram-se do primeiro dia de corrida da minha família? Acreditaram em mim e fizeram pouca coisa.

O que aprendi aqui é que, mesmo que você esteja em um nível muito alto na sua empresa, precisa correr junto com seu candidato, na velocidade dele. Ou seja dar uma tarefa inicial que esteja dentro dos padrões dele, de forma que ele possa dizer ao final: é só isso que tenho que fazer?

Todas as empresas têm maneiras de uma pessoa começar com um esforço mínimo, bastando apenas que acredite que o projeto da empresa seja uma coisa agradável para ela; tem que gostar dos produtos, das pessoas, do sistema etc. É preciso também saber que nem todas as pessoas querem sair de suas zonas de conforto, e por isso, só podemos investir o nosso tempo com aqueles que desejam alcançar algum resultado.

Há empresas que são estruturadas de forma que as pessoas não tenham que morrer de trabalhar ou ficar investindo rios de dinheiro até chegar ao sucesso. Cito como exemplo a Mona.Vie e a My Travel and Cash. Nessas empresas, a pessoa pode fazer um mínimo que é compatível com qualquer cidadão brasileiro, durante todo o tempo do projeto e chegar ao topo.

Mona.Vie – http://comunidadesaudavel.wordpress.com/

My Travel & Cash – https://www.mytravelandcash.com/celsodv

Anúncios

Sobre Celso Silva

Meu nome é Celso Silva; nasci no Rio de Janeiro, em 24 de fevereiro de 1950. Aos 17 anos ingressei na Escola Preparatória de Cadetes do Exército, em Campinas, São Paulo, e após 3 anos, fui para a Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende, Rio de Janeiro, formando-me em dezembro de 1973. Segui a carreira militar, passando para a reserva como coronel.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s